SOMBRA E LUZ (Parte 2)

 

I – “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”.

II – “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”

(Em Mateus 22:37-40)

 

 

Vivemos tempos confusos e estranhos em todos os locais do mundo. Independentemente da localização geográfica e do maior ou menor bem estar material atingido pelas nações; ricos ou pobres, brancos ou negros, ocidentais ou orientais, todos estamos sendo sacudidos pelos ventos da discórdia, da insegurança e do caos, como se literalmente todos estivéssemos conectados a um fio invisível de negatividade que parece querer destruir a ordem vigente.

Subitamente, como que num passe de surrealismo, valores que tínhamos como arraigados, conceitos arduamente conquistados e adquiridos ao longo de muitos séculos de sangue, suor e lágrimas, virtudes que julgávamos solidamente estabelecidas, começaram a ser questionadas e até invertidas, sendo continuamente expostas à deturpação e ao descrédito.

Países prósperos e aparentemente estáveis, que julgávamos firmes em suas convicções, cedem e se mostram terrivelmente lenientes, frágeis e feridos em suas estruturas psicossociais e em seus valores mais profundos, ante o avanço ostensivo de raças e culturas invasivas, muitas vezes raivosas e certamente bem menos evoluídas.

A capacidade humana de praticar o mal disfarçado pelo mistério psicológico do auto-engano, então vem à tona, tudo isso alimentado por ideologias corrosivas, totalitárias e sabidamente nefastas, mas que despertam polaridades e posicionamentos absurdos, encastelados no radicalismo inamovível, enquanto os ouvidos permanecem inteiramente surdos a qualquer tipo de chamada ao bom senso, revelando mais uma vez a capacidade que grande parte dos seres humanos tem de, se necessário explodir o planeta, para tentar defender aquilo que cada um julga ser sua identidade, uma identidade que eles confundem com sua própria segurança, toda ela centrada em seus pontos de vista.

Uma Babel de informações, muitas delas falsas e manipuladas, ora revestidas maliciosamente com o brilho falso e ilusório do justo e do correto, ora desfocadas e colocadas inteiramente descentralizadas de um contexto de tempo e de espaço, ora ignorando e atropelando grotescamente as infinitas e sutis “nuances” que revestem a realidade e que são plantadas com a intenção deliberada de destruir a ordem e criar em nossas mentes a confusão e o caos.

Perante isso, como conseguiremos nos manter à tona, nessa tempestade emocional e mental que parece querer abalar inteiramente os nossos mais sólidos alicerces, ainda mais sabendo que carregamos em nossa essência tanto as sementes do Bem, quanto as do Mal, para dificultar cada vez mais nossas decisões? Qual a necessidade de termos tais sementes, pergunta-se, se aparentemente essa dicotomia apenas dificulta em como escolher e seguir corretamente o Caminho da Vida? Como escapar às tentações maliciosamente plantadas pelas incontáveis e melífluas serpentes que povoam as trilhas para o nosso tão almejado Paraíso, se a mais venenosa dessas Bestas habita dentro de cada um de nós e se, como enfatizou o genial escritor russo, Aleksandr Solzhenitsyn, “a linha divisória entre bem e mal sempre passará pelo coração de cada ser humano”?

Bem, a resposta nos é dada pela comprovação feita ao longo da História da Humanidade e também da busca pelo autoconhecimento de que as serpentes só existem porque sem elas não haveria Movimento, não haveria Caminhar. Apenas a Inércia e a Não-Existência. Por isso a necessidade da Vida se equilibrar entre tais polaridades, para que se produza o Movimento e consequentemente a Evolução.

Sim. E, como se não bastasse, para complicar ainda mais essa Matemática, já de si aparentemente inextrincável, a escolha terá sempre de ser exclusivamente de cada um. Olha aí que responsabilidade! Pois é! Contudo, para aliviar um pouco o peso dessa responsabilidade, existem alguns norteamentos que poderão ajudar-nos a fazer escolhas mais benéficas. Escolhas mais acertadas em primeiro lugar sempre para nós próprios. Escolhas que dispensam o oportunismo e o imediatismo, típicos de uma visão superficial e que privilegiam princípios que se orientam por uma visão mais abrangente e aprofundada, quase sempre calcados na experiência e na sabedoria que nos foi legada por nossos ancestrais. É fundamental caminhar sempre conectado com a nossa história familiar, portanto. Com os ancestrais que vieram antes de nós. Eles não estiveram em nosso caminho por acaso, como certamente nada nem ninguém que cruzar nossos próximos passos estará. Todos os que estiveram, assim como todos os que vierem, estarão por algum motivo. Nada é por acaso.

Sim, os seres humanos possuem uma propensão imensa para fazer o mal. Somos, talvez, o único animal dotado dessa terrível capacidade de fazer o mal, apenas pelo mal. No entanto, vai de nós querermos explorar essas possibilidades. Sabendo que lidaremos sempre com a certeza de que no final colheremos fatalmente os frutos terrivelmente amargos reservados aos que optam por esse caminho. A semeadura é livre, mas a colheita não. E, acredite: a Lei é imutável e infalível e a Harmonia Cósmica é indestrutível. Apenas nossa visão limitada e o orgulho ilimitado em admiti-lo é que não nos possibilita alcançar tal compreensão.

Contudo, em compensação, lembre-se que também temos todos dentro de nós a centelha divina, pois somos feitos à imagem e semelhança do Criador. E essa centelha estará sempre ao alcance das escolhas acertadas que fizermos. Pronta para ser acessada e iluminar o nosso Caminho. Sendo sabedor disso, procure fomentar sempre que possível as sementes que contribuirão para acender essa Luz cada vez mais forte e poderosa em seu caminhar. Expanda a sua Consciência. Com isso, a cada passo nessa trilha, você irá percebendo uma facilidade cada vez maior e uma clareza que irá dissipando gradualmente suas dúvidas, seus medos e incertezas e lhe apontará com mais nitidez quais as escolhas que mais lhe beneficiarão.

Lembre-se também que o Conhecimento será sempre uma das ferramentas mais poderosas para auxiliá-lo nesse árduo caminhar. Não duvide que sua mente possua uma capacidade insondável de acumular informações e conhecimentos e quanto mais você treinar e usar essa capacidade, mais expansão haverá. Vença a inércia natural, o medo do desconhecido e o comodismo físico e mental que sempre tentam atravancar seu progresso na trilha evolutiva, para tentar expandir cada vez mais o seu Saber. Aproveite o acúmulo de esplendorosas contribuições ao Pensamento, às Artes, à Beleza, ao Prazer e à sublimidade dos sentidos, que tantos Seres de Luz que por este Plano já passaram, se esmeraram em nos legar, guarde aquelas que lhe trazem felicidade, as que o seu coração acolhe e elimine as que apenas o conduzem ao negativismo e ao sofrimento, para que possa se regozijar a cada momento com a Existência! Lembre-se: um minuto de alegria perdido, um segundo de felicidade desperdiçado, é um momento que não voltará jamais!

Não se aferre a hábitos viciosos. Não se apegue cegamente à falsa segurança de conceitos imutáveis e bolorentos que podem não ter mais nenhuma serventia para você. Pense! Analise! Alguns ganchos que utilizamos na trajetória podem ter sido úteis em algum momento da sua escalada, mas isso poderá não ser verdadeiro no atual estágio do seu trajeto. A Vida é Transformação e Mutabilidade. Todo o Universo o é: assim em baixo, como em cima, já rezavam as sábias Leis Herméticas, muitos séculos atrás! Por isso, perca o medo de errar e ouse. Caminhe sempre com destemor e honestidade em direção ao encontro com a sua verdadeira essência, tendo em mente que o grande obstáculo, o mais poderoso inimigo que irá encontrar nessa trilha será sempre você! Nunca tem a ver com o outro. Terá sempre a ver com você e com o Seu Criador!

Lembre-se que a Trilha é infinita, mas o que importa isso, se você tem a Eternidade para caminhar. E o importante é caminhar, curtindo a jornada, sabendo que a jornada é o fim, é o que conta, é o Presente. Jamais cometa o erro de tomá-la como um meio para algo que sempre teima estar inatingível à sua frente. Um algo que ninguém lhe garante que acontecerá. O futuro é agora! Assim sendo, lembre-se que, por mais íngreme e doloroso que possa ser tal percurso, levá-lo sorrindo sempre suavizará o trajeto e poderá ajudá-lo na cicatrização de feridas. Num dia se erra, mas no outro, quem sabe, se poderá acertar, se houver um tentar. Nem sempre se ganha, mas também não se perde sempre, e em todas as perdas existirá sempre algo a ganhar. Tudo tem um sentido. É uma questão de treinar o olhar correto. Mas, se em alguns momentos sua vista embaçar e você não conseguir divisar o sentido, faça pausas, recue até se o cansaço bater ou se algum obstáculo eventualmente lhe parecer maior que suas forças.
Mas não desista jamais!

Silencie se necessário, para tentar se reconectar com sua essência e o seu Caminho. As estratégias são muitas, os caminhos múltiplos e diversos e as escolhas e sintonias são exclusivamente suas, mas, no final, não se preocupe: todos irão chegar ao mesmo lugar. Por isso a direção pode até ter atalhos e necessitar correções temporárias no rumo, mas não esqueça que sempre haverá um Norte no horizonte para lhe orientar e guiar. Sempre haverá um prá frente e pro alto numa visão macro mais ampla e abrangente e se tiver um espírito treinado no otimismo para lhe fortalecer. Pois, sempre haverá um novo dia para recomeçar, um Sol brilhante a iluminá-lo e um Deus sábio, justo e compassivo para caminhar a seu lado. É só você buscá-Lo e acreditar!

Com isso, gradualmente você irá perceber que a existência é muito maior e a realidade pode ser infinitamente mais complexa do que aquela caixinha em que todas as ideologias tentam lhe aprisionar. Aquilo que pode ser verdadeiro (ou conveniente) para alguém, em determinadas circunstâncias, em determinado momento e sob um determinado prisma do olhar é sempre mutável e pode não ser verdadeiro (ou conveniente) para você. Por isso, até por definição, jamais qualquer Ideologia poderá lhe ajudar, pois a realidade é sempre infinita e muito mais complexa e não cabe em cartilhas. Mas, não desanime: esse mesmo Infinito está dentro de você. E seu Mestre é você!

Como ferramenta de enorme utilidade enquanto estiver no Caminho, tenha sempre em mente aquele ancestral Princípio das Escolas de Mistério antigas: a Virtude sempre está no Meio! Até as grandes virtudes, quando excessivas e sem Equilíbrio nem Sabedoria podem transformar-se em vícios e em erros. Que serão sempre muito mais sutis, nocivos e de difícil detecção, quando vêm revestidos com a capa ilusória do correto e da retidão.

E, sobretudo, nunca perca de vista aquela Verdade Maior que foi dita há mais de dois mil anos atrás por um determinado Nazareno: “não desejes aos outros e não faças com eles aquilo que não gostarias que fizessem contigo próprio”.

Parece pouco! Parece simples, mas, até hoje poucos conseguiram de fato aplicar essa máxima aparentemente “tão simples”.

E, pelo que nos consta, ainda não apareceu ninguém que tenha expressado um conselho tão útil, sábio e verdadeiro.

“Com isso e com os dois mandamentos que abrem este artigo, encerram-se a lei e todos os profetas.”

 

 

N.A.: É! Nada disso tem a emoção de uma novela, mas, assim como elas, este artigo também continua no próximo capítulo! Nele abordaremos os “ismos”!

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *