,

SE

O poema “Se | IF”, escrito em 1895 pelo escritor anglo-indiano Rudyard Kipling (Prêmio Nobel de Literatura – 1907) e publicado pela primeira vez em 1910 numa coletânea de contos e poemas intitulada “Rewards and Fairies”.     Se Se…
,

Tenho medo de perder a maravilha

        Tenho medo de perder a maravilha de teus olhos de estátua e aquele acento que de noite me imprime em plena face de teu alento a solitária rosa. Tenho pena de ser nesta ribeira tronco sem…
,

A UMA SENHORA QUE ME PEDIU VERSOS - Poesia de Machado de Assis

        Pensa em ti mesma, acharás Melhor poesia, Viveza, graça, alegria, Doçura e paz. Se já dei flores um dia, Quando rapaz, As que ora dou têm assaz Melancolia. Uma só das horas tuas Valem…
,

MÃOS DADAS - Poesia de Carlos Drummond de Andrade

Um dos maiores poetas brasileiros, Carlos Drummond de Andrade publicou “Mãos Dadas” em 1940, em meio à Segunda Guerra. O poeta pintava um quadro que 80 anos depois, tornou-se mais uma vez familiar: os seres humanos “estão taciturnos…

"O Corvo" de Edgar Allan Poe

Mais conhecido por ser um dos escritores pioneiros da Literatura Policial e precursor juntamente com Júlio Verne da Ficção Científica e Fantástica, o americano Edgar Allan Poe (1809-1849) foi também romancista, crítico literário e poeta,…

Mário de Sá-Carneiro: "PIED-DE-NEZ"

    Mário de Sá-Carneiro (1890 — 1916) foi um poeta, contista e ficcionista português, um dos grandes expoentes do Modernismo em Portugal e um dos mais reputados membros da Geração d’Orpheu. Infelizmente,…
,

OS PRIMEIROS RUMORES DA PRIMAVERA (Poesia de Paulo Monteiro)

Quando  estaremos  preparados  para  acolher Os Primeiros Rumores da Primavera?       Lá fora o sol derrete os derradeiros flocos de neve E cristaliza recordações translúcidas nas folhagens Em fugazes…

Hilda Hilst (* 1930 - + 2004)

Leia as poesias e a biografia dessa brasileira genial e "marginal" ( no que concerne aos padrões estabelecidos, obviamente...) escutando sua alma-gêmea musical:  Cássia  Eller     23 “Sobrevivi à morte sucessiva…
,

O ANEL DE VIDRO - Poesia de Manuel Bandeira

      Aquele pequenino anel que tu me deste, — Ai de mim — era vidro e logo se quebrou Assim também o eterno amor que prometeste, — Eterno! era bem pouco e cedo se acabou. Frágil penhor que foi do amor…
,

ERÓTICA É A ALMA - Prosa Poética de Fabíola Simões

Apesar de não ser propriamente uma poesia, pela delicadeza e pela forma, seria aquilo que denomino prosa poética. Por isso o enquadrei na seção de Poesias.     Adélia Prado certa vez escreveu: “Erótica é a…