,

José Eduardo Agualusa

José Eduardo Agualusa Alves da Cunha é um jornalista, escritor e editor angolano de ascendência portuguesa e brasileira, nascido na outrora colônia portuguesa de Angola, na África Ocidental.               Nada…
,

ORATÓRIO EM SI - Poesia de Joseph Agamol

            Que receba a glória. Quem adestrou o fogo e engendrou o abrigo. Quem pressentiu o cio da terra, intuiu o trigo, o milho e o pão E uniu o solo à semente, em comunhão. Quem…
,

CÂNTICO NEGRO

José Régio*, o extraordinário poeta luso do silêncio e do amor, das relações humanas, da inquietação, do inconformismo e do desapego. É nesta relação com o mundo, a exemplo de Régio, que nos faz ser cada vez mais fortes naquilo que…
,

"Cânticos" - Poesia de Cecília Meireles

        Não digas onde acaba o dia. Onde começa a noite. Não fales palavras vãs. As palavras do mundo. Não digas onde começa a Terra, Onde termina o céu. Não digas até onde és tu. Não…
,

"Quando vier a Primavera' - Alberto Caeiro (Fernando Pessoa)

Quando vier a Primavera,  Se eu já estiver morto,  As flores florirão da mesma maneira  E as árvores não serão menos verdes que na Primavera passada.  A realidade não precisa de mim.     Sinto uma alegria enorme  Ao…
,

Luz repentina - (Sudden Light) de Dante Gabriel Rossetti

  Luz repentina Aqui já estive dantes, Quando e como, não sei supor: Relembro a relva adiante, O doce e vivo olor, As luzes da costa em redor, o ruído suspirante. Outrora foste minha, — Há quanto tempo, ignoro: Ao…
,

SE

O poema “Se | IF”, escrito em 1895 pelo escritor anglo-indiano Rudyard Kipling (Prêmio Nobel de Literatura – 1907) e publicado pela primeira vez em 1910 numa coletânea de contos e poemas intitulada “Rewards and Fairies”.     Se Se…
,

Tenho medo de perder a maravilha

        Tenho medo de perder a maravilha de teus olhos de estátua e aquele acento que de noite me imprime em plena face de teu alento a solitária rosa. Tenho pena de ser nesta ribeira tronco sem…
,

A UMA SENHORA QUE ME PEDIU VERSOS - Poesia de Machado de Assis

        Pensa em ti mesma, acharás Melhor poesia, Viveza, graça, alegria, Doçura e paz. Se já dei flores um dia, Quando rapaz, As que ora dou têm assaz Melancolia. Uma só das horas tuas Valem…
,

MÃOS DADAS - Poesia de Carlos Drummond de Andrade

Um dos maiores poetas brasileiros, Carlos Drummond de Andrade publicou “Mãos Dadas” em 1940, em meio à Segunda Guerra. O poeta pintava um quadro que 80 anos depois, tornou-se mais uma vez familiar: os seres humanos “estão taciturnos…