John Birks Gillespie, conhecido como Dizzy Gillespie, ( 1917 – 1993) foi um trompetista líder de orquestra, cantor e compositor de jazz, sendo a par de Charlie Parker, uma das maiores figuras no desenvolvimento do movimento bebop no jazz moderno.

Nascido na Carolina do Sul, Dizzy era um instrumentista virtuoso e um improvisador dotado. A juntar às suas capacidades instrumentais, os seus óculos, a sua forma de cantar e tocar (com as bochechas extremamente inchadas), o seu trompete recurvo e a sua personalidade alegre faziam dele uma pessoa especial, dando um aspecto humano àquilo que muitos, incluindo alguns dos seus criadores, classificavam como música assustadora.

Dizzy Gillespie, 'Chega de Saudade' (Tom Jobim) - YouTubeEm relação à forma de tocar, Gillespie construiu a sua interpretação a partir do estilo “saxofónico” de Roy Eldridge indo depois muito além deste. As suas marcas pessoais eram o seu trompete (com a campânula inclinada 45º em vez de ser a direito) e as suas bochechas inchadas (tradicionalmente os trompetistas são ensinados a não fazer “bochechas”).

Para além do seu trabalho com Parker, Dizzy Gillespie conduziu pequenos agrupamentos e big bands e aparecia frequentemente como solista com a Norman Granz’s Jazz at the Philharmonic. No início da sua carreira tocou com Cab Calloway, que o despediu por tocar “música chinesa”, com Ella Fitzgerald, com Duke Ellington e também com a lendária big band de Billy Eckstine tendo dado a estas harmonias atípicas e uma melhor cobertura.

 

Em 1944, a primeira sessão de gravação de bebop incluíu a música de Gillespie, “Woody’n’You”, e, além do próprio Gillespie, contou com Coleman Hawkins.

Na década de 1940 Gillespie liderou o movimento da música afro-cubana, trazendo elementos latinos e africanos para o jazz, e até para a música pop, em particular a salsa. Das suas numerosas composições destacam-se os clássicos do jazz “Manteca”, “A Night in Tunisia”, “Birk’s Works”, e “Con Alma”.

Muitos críticos de renome credenciam Dizzy Gillespie como o maior trompetista de jazz de todos os tempos, com a possível exceção de Louis Armstrong.

Dizzy Gillespie publicou a sua autobiografia em 1979, To Be or not to Bop  e foi vítima de um câncer no início de 1993, sendo sepultado no Flushing Cemetery  no bairro de Queens, em Nova Iorque.

Tem uma estrela com o seu nome na Calçada da Fama em Hollywood, número 7057 Hollywood Boulevard.

 

 

Fonte :  Wikipédia  Dizzy Gillespie