José Eduardo Agualusa Alves da Cunha é um jornalista, escritor e editor angolano de ascendência portuguesa e brasileira, nascido na outrora colônia portuguesa de Angola, na África Ocidental.

 

 

 

 

 

 

 

Nada passa, nada expira

O passado é

um rio que dorme

e a memória uma mentira

Multiforme

Dormem do rio as águas

e em meu regaço dormem os dias

dormem

dormem mágoas

as agonias,

dormem.

Nada passa, nada expira

O passado é

um rio adormecido

parece morto, mal respira

acorda-o e saltará

num alarido.

 

 

– José Eduardo Agualusa, em “O Vendedor de Passados”.