“Há uma guerra contra a verdade, e se não a vencermos, a liberdade intelectual será a primeira baixa.

O compromisso do Ocidente com a liberdade, a razão e o verdadeiro liberalismo nunca estiveram tão gravemente ameaçados quanto estão hoje pelas forças sufocantes do politicamente correto”  (Dr. Gad Saad em A Mente Parasita)

 

Editora Trinitas - Posts | Facebook

 

Neste livro fabuloso, o Dr. Gad Saad expõe as más ideias – às quais chama de ideias patógenas – que estão matando o senso comum e o debate racional. Incubadas nas universidades e espalhadas por meio da tirania do politicamente correto, essas ideias ameaçam nossas liberdades mais basilares, incluindo a liberdade de pensamento e de expressão.

Este livro trata exatamente da batalha contra tais ideias patógenas.

E ele explica o motivo pelo qual tal batalha é direcionada quase exclusivamente contra uma única corrente de ideias: as ideias esquerdistas do politicamente correto:

Livro A Mente Parasita, Gad Saad - Booktrailer - YouTube“Uma crítica associada que recebo com frequência  é uma espécie de tu quoque, ou falácia do apelo à hipocrisia. As pessoas esperam que eu despeje a minha ira e as minhas críticas à direita com a mesma intensidade e na mesma medida  que as despejo sobre a esquerda. Contudo, eu habito no mundo acadêmico, cujo ecossistema foi dominado pelo pensamento esquerdista há muitas décadas e, certamente, durante toda a minha carreira profissional. Os patógenos de ideias que discuto em A Mente Parasita vêm, em grande parte, senão totalmente, de acadêmicos de esquerda. O pós-modernismo, o feminismo radical, o relativismo cultural, as políticas identitárias e todo o resto do absurdo ideológico acadêmico não foram desenvolvidos e disseminados por fanáticos de direita. A seleção fugitiva é um mecanismo evolutivo que explica como os animais desenvolvem caraterísticas extremamente exageradas (como a cauda do pavão). Acredito que muitos dos patógenos de ideias abordas em A Mente Parasita são manifestações de uma espécie de seleção fugitiva da insanidade gerada por professores de esquerda. Há uma pressão ideológica cada vez maior para o surgimento de desvios mais flagrantes da razão como um sinal de virtude e pureza progressista. Como cientista evolucionista comportamental, estou tão interessado em criticar políticos republicanos (de direita , portanto) que escolhem “rejeitar a teoria da evolução quanto estou  em criticar os democratas (de esquerda) que rejeitam algumas de suas implicações. Minha ênfase na esquerda é um mero reflexo do fato de que a sua intelligentsia é a que molda a cultura acadêmica e os efeitos subsequentes que afetam o restante da sociedade. Bem sei que não preciso criticar os dois lados do campo político com o mesmo entusiasmo, por causa de um desejo equivocado de parecer imparcial. Isso seria o mesmo que perguntar a um oncologista ginecológico, especializado em câncer do colo de útero por que ele insiste em manter seu foco apenas nas mulheres. Qual é, doutor, não seja sexista. Faça o favor de ser imparcial e trate homens com câncer de colo do útero também. Na verdade, esse cenário agora tornou-se uma possibilidade, uma vez que homens transexuais têm colo de útero.  O meu objetivo é defender a verdade e, atualmente, são os patógenos de ideias da esquerda que estão nos levando para um abismo sem fim de escuridão e irracionalidade. (Dr. Gad Saad)

 

Pelos vistos, não é apenas o Dr. Saad que vive num mundo acadêmico quem habita nesse universo contaminado e à beira do abismo. Somos todos nós, do mundo ocidental, que estamos sendo atacados violentamente por tais ideias patógenas que nos estão levando para um cenário apocalíptico à beira do precipício. Se duvida disso, e apenas tomando um pequeno e atual exemplo, assista ao novo e, pelos vistos, derradeiro 007  – pelo menos nos moldes em que foi criado por Ian Fleming! Um exemplo que parece mínimo, mas que expõe com clareza absoluta essa realidade assustadora– e devastadora!

 

“Há décadas, um conjunto de patógenos de ideias originadas sobretudo nas universidades têm atacado implacavelmente a ciência, a razão, a lógica, a liberdade de pensamento, a liberdade de expressão e a dignidade humana. Se quisermos que nossos filhos e netos cresçam em sociedades livres como nós crescemos, devemos estar seguros  de nossos princípios e prontos defende-los.

Tendo crescido em meio à brutalidade da Guerra Civil libanesa e testemunhado a destruição do bom senso em nossas universidades, eu imploro que você faça a sua parte. Você é capaz de implantar as mudanças necessárias. A cura está diante de você: é a busca e a defesa da verdade; é o compromisso com as virtudes da Revolução científica Ocidental e da Era do Iluminismo. Marchemos, soldados da razão. Juntos, podemos vencer a batalha de

ideias. (Dr. Gad Saad em A Mente Parasita da Editora Trinitas)