O músico dinamarquês Anders Trentemøller tem uma carreira musical que infelizmente não consegue o mesmo alcance de suas intervenções e colaborações em composições de outros artistas.

Geralmente ligado à cena eletrônica e a músicas instrumentais, aqui ele nos traz um trabalho incomum e de absoluta qualidade que parece ter sua verdadeira confluência no encontro entre inspiração e criatividade, sintonia e talvez um pouco do transcendental.

Em “Memoria”, seu mais recente trabalho, ele apresenta a guitarrista e vocalista dinamarquesa Lisbert Fritze (da banda Giana Factory) como vocalista principal e única num álbum profundamente interiorizado e ao mesmo tempo diversificado, o que dificulta profundamente quem pretenda filiá-lo a qualquer vertente musical única.

Mesmo sendo diversificado apresentando variados estilos e mantendo o clima de eletrônico em algumas faixas, o disco apresenta uma tendência à Ambient Music, geralmente nos momentos instrumentais (“Darklands”, “Glow”, “Rise”);  mas faz incursões pelo Shoegaze e Dreampop em faixas como “Veil of White”, “No More Kissing in the Rain”, ”All Too Soon” e a inefável “Like a Daydream”, que remetem a bandas como Cocteau Twins, conectadas pelas guitarras etéreas e os vocais oníricos de Fritze.

Estudioso da música em suas mais variadas vertentes, Trentemøller adiciona elementos do Krautrock e Drone Music na instrumental “When The Sun Explodes”. Já “Dead or Alive” tem um quê de Pós-Punk com timbres orientais. O álbum fecha com os climas altamente envolventes de “Linger”, numa faixa que também resvala para o Ambient.

Um trabalho surpreendente e de altíssimo nível que certamente agradará a todos os ouvintes e contribuirá para tornar mais acessível o nome desse talento extraordinário do cenário “indie”

 

 

Ouça   AQUI     “Memoria”   com  Trentemoller