No mundo do piano, Nelson Freire nos deixou em 1º de novembro, aos 77 anos. Considerado um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, tocou nos principais palcos espalhados pelo mundo e chegou a ser tema de um documentário de João Moreira Salles no início dos anos 2000.

 

 

Nelson José Pinto Freire (1944 — 2021) foi considerado um dos principais pianistas de sua geração; ele era conhecido por sua “execução decorosa de piano” e “profundidade interpretativa”. Sua extensa discografia para selos como Sony Classical, Teldec, Philips e Decca ganhou inúmeros prêmios, como o Gramophone Award e Diapason d’Or, além de três indicações ao Grammy. Ele apareceu como solista com as orquestras mais prestigiadas do mundo, incluindo a Orquestra Filarmônica de Berlim, a Orquestra Filarmônica de São Petersburgo, a Orquestra Real do Concertgebouw, a Orquestra Sinfônica de Londres, a Orquestra de Paris, a Orquestra Nacional da França, a Orquestra Filarmônica de Nova York, a Orquestra de Cleveland e a Orquestra Sinfônica de Montreal, entre várias outras.

Freire embarcou em sua carreira internacional em 1959, dando recitais e concertos nas maiores cidades da Europa, Estados Unidos, América Central e do América do Sul, Japão e Israel. Trabalhou também com muitos dos mais prestigiados regentes, incluindo Pierre BoulezEugen JochumLorin MaazelCharles DutoitKurt MasurAndré PrevinDavid ZinmanVaclav NeumannValery GergievRudolf Kempe (com quem realizou diversas turnês pelos Estados Unidos e Alemanha com a Royal Philharmonic Orchestra), Gennady RozhdestvenskyHans GrafHugh WolffRoberto CarnevaleJohn NelsonSeiji Ozawa e Isaac Karabtchevsky.

Apresentou-se como convidado de orquestras de prestígio, tais como: Berliner PhilharmonikerMünchner PhilharmonikerBayerische Rundfunk OrchesterRoyal Concertgebouw OrchesterRotterdam Philharmonic OrchestraTonhalle Orchester ZurichWiener SymphonikerCzech PhilharmonicOrchestre de la Suisse RomandeLondon Symphony OrchestraRoyal Philharmonic OrchestraOrquestra Sinfônica do Estado de São PauloOrquestra Sinfônica Nacional da Rádio MEC,Orquestra Sinfônica do ParanáIsrael PhilharmonicOrchestre de ParisOrchestre National de FranceOrchestre National des Pays de la LoirePhilharmonique de Radio FranceOrchestre de Monte Carlo e outras orquestras de Baltimore, Boston, Chicago, Cleveland, Los Angeles, Montreal, Nova York e Filadélfia.

Em Varsóvia (1999), Freire realizou um triunfo genuíno com sua interpretação do Concerto para Piano e Orquestra N.º 2 de Chopin, marcando os 150 anos de aniversário da morte do compositor.

Em novembro de 2019, sofreu uma queda ao tropeçar numa calçada na Barra da Tijuca, fraturando o úmero do braço direito. Voltaria aos palcos no ano seguinte, mas os planos foram adiados pela pandemia do coronavírus. Freire morreu em 1 de novembro de 2021, aos 77 anos de idade, no Rio de Janeiro.

 

Fonte principal: Wikipedia Nelson Freire