Se você se deparar com discos de um mexicano chamado Fernando Corona, certamente lhe virão à cabeça velhos westerns em que os vilões eram representados por pistoleiros mexicanos de bigodão, ou então vai lembrar das festividades em honra à Virgem de Guadalupe e os sons festivos e onipresentes dos “mariachis”, em Tijuana (que, por coincidência, é a cidade mexicana onde ele nasceu), certo?

E se souber que o dito cidadão atende mais familiarmente pelo nome Murcof, o que pensaria? Bem, se você é familiarizado com o que de mais transcendente se produz na música eletrônica dos nossos dias, certamente irá relacionar esse nome ao artista de ponta, hoje radicado na Catalunha, e a músicas que nos remetem a outro tipo de filmes: os de ficção científica, como Solaris, ou 2001: Uma Odisséia no Espaço, com seus assépticos ambientes “high tech” e seus enigmas e dilemas metafísicos.

É esse o universo em que trafega Murcof. Extremamente distante da anorexia conformista e tediosa que permeia quase todos os trabalhos de Música Ambiente, e utilizando-se de uma estética musical vincada entre a eletrônica e o clássico, e suas variantes minimalistas, Cosmos, seu lançamento de 2007, marca o momento na trajetória do artista em que ele mais se aproximou (apropriou?) da música clássica; grandioso, monumental, cinematográfico, esfíngico e futurista são denominações que aqui se aplicam com toda a propriedade; já na faixa inicial, Cuerpo Celeste, somos convidados, por aquilo que parece ser um órgão espacial, a um encontro imediato inter-galáctico que se desenrolará continuamente ao longo das restantes faixas do disco. Cosmos I e II, as faixas siamesas e complementares, trazem-nos à memória os trabalhos pioneiros em eletrônica dos grupos alemães dos anos 70 e, à medida em que nos elevam aos píncaros da revelação esotérica, constituem o anti-clímax ideal para Oort, a sensacional faixa final deste trabalho, sem dúvida um dos destaques luminares do ano de 2007. Se preferir um trabalho mais centrado na Eletrônica, escolha o fantástico “Remembranza” de 2005, ou até os outros discos anteriores de Murcof. Em qualquer dos casos não haverá margem de erro possível: você estará com música da mais alta qualidade em suas mãos.

 

Discografia Básica : Martes (2002) Utopia (2004) Remembranza (2005) Cosmos (2007)

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *