Se há amor envolvido, vou expressar o meu entendimento, extra-científico, mesmo atuando como psiquiatra baseado nos “parâmetros da ciência”, louco como qualquer outro, sobre o que acredito a respeito de desejo e pensamento.

 

Temos evidências científicas, protocolos de tratamentos, guide lines e conhecimentos enormes sobre a saúde mental.

Ok, sigo e acompanho.

Dispenso críticas de ódio e agradeço a compreensão.

Existem apontamentos muito estimulantes a respeito do que seria o desejo e o pensamento, que a ciência ainda não deu conta de responder.

Estamos no limiar desse entendimento.

Carl Gustav Jung foi um dos psicanalistas que mais se envolveu nessa obscura área.

Um dos menos compreendidos, cuja seara mais ensejou a proliferação de picaretas, que não possuíam a capacidade de compreendê-lo e mistificaram sua obra. Jung é necessário de ser compreendido.

Mas não só ele. A realidade. A ciência, a Física quântica.

O avanço no conhecimento científico e a aproximação com a metafísica trazem questões inquietantes que aproximam Jung à realidade que nossos físicos nos apontam.

Descrevo algumas:

Está provado que o observador altera o resultado de sua observação.

A alteração de um elétron é imediatamente transmitida para outro elétron, independente de onde se encontre.

Matéria e energia são a mesma coisa, em níveis diferentes de vibração.

Pensamento é energia, logo passível de se materializar.

Isso indica uma interligação entre TUDO no universo.

Meio louco pensar nessas coisas, né!?

Formas pensamento, miasmas astrais: O que são e como impactam sua vida? - Portal AmazôniaMas, voltando a Jung, sim, parece existir um tal de “inconsciente coletivo”, também

EXISTEM os arquétipos, que fundamentam essa teoria.

Falei tudo isso, apenas para dizer que existem “”FORMAS DE PENSAMENTO”.

Seriam pensamentos alimentados pelo coletivo, que comandam nosso mundo e poderiam adquirir maior poder do que o pensamento de um indivíduo isolado.

Seriam essas “Formas de pensamento” que comandariam o mundo?

MEIO LOUCO ISSO, NÉ?

Daí a importância de estarmos sempre vigilantes em relação ao que pensamos, sentimos e desejamos.

Essa energia será transmitida, de alguma forma, se ligará a outras emissões de vibrações semelhantes e formará uma “psicosfera” que não conhecemos, dominamos, mas terá efeitos sobre os demais.

Quantos mais pensarmos sobre determinados assuntos, mais impactos terão.

Imagine como deve ser a psicosfera de um planeta onde os temas dominantes são a conquista do poder, guerras, tráfico de armas, drogas, assassinatos, estupros, materialismo, cobiça, ambição e avanço da amoralidade.

A mudança precisa começar dentro de cada um de nós, alimentando a luz para o extermínio das trevas.

 

 

Dr. Pedro Possas

Psiquiatra em Campinas (SP)

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *