Se 2020, para muitos foi um ano a ser esquecido, algo que é simplesmente uma questão de perspectiva, musicalmente foi um ano riquíssimo no cenário “indie”. Eu diria até que inesquecível musicalmente e em vários aspectos.

Se mais não fosse, pelo ressurgimento dos fantásticos discos de Isobel Campbell, do mito conhecido como Bob Dylan e da extraordinária Fiona Apple. Além disso, tivemos os debuts do maravilhoso Mark Tranmer do Vetchinsky Settings, infelizmente também no mesmo ano em que lamentamos a perda de seu parceiro, Roger Quigley,  do inesquecível Montgolfier Brothers, do londrino Will Westerman num trabalho pop leve de altíssima qualidade e do trio tarimbado e adulto que assina como Shabason, Krgovich & Harris. Todos eles, uma festa para os ouvidos.

Tivemos também os registros de altíssima qualidade – como sempre – de Isobel Campbell, do fantástico e misterioso Dj venezuelano que assina como Arca, do talentosíssimo Mike Hadreas que assina como Perfume Genius, do chileno-americano. também vanguardista, Nicolas Jaar, do supergrupo do Humanist e mais um disco para não esquecer do I Like Trains.

Mas, os louros vão para o disco – música? – do projeto denominado The Microphones, capitaneado pelo americano Phil Elverum, num registro musical ininterrupto de 45 minutos, absolutamente único e revolucionário que talvez só possa ter o devido reconhecimento da maioria dos ouvintes alguns anos mais à frente. Sem dúvida um ano ímpar que firma a preponderância de registros marcados pelo individualismo, possivelmente assinalando uma tendência musical que se adapta à direção tomada não apenas pelas artes musicais!

 

O Cults & Raridades deseja a todos os seus seguidores um 2021 pleno de realizações que possa firmar definitivamente o primado da LIBERDADE e da VERDADE para todos nós.

 

 

JANEIRO  –   “Underneath the Stars, Still Waiting”  –  Vetchinsky  Settings 

FEVEREIRO  –  “There is No Other”  –  Isobel Campbell

MARÇO  – “@@@@@”  –  Arca 

ABRIL  –  “Humanist”  –  Humanist

MAIO  –  “Set my heart on fire immediately”  –  Perfume Genius

JUNHO  –  “Your hero is not Dead”  –  Westerman

JULHO  – “Cenizas”  –  Nicolas  Jaar

AGOSTO  – “Fetch the Bolt Cutters”  –  Fiona Apple

SETEMBRO – “Kompromat”  –  I Like Trains

OUTUBRO – “Rough and Rowdy Ways”  –  Bob Dylan

NOVEMBRO – “Philadelphia” – Shabason, Krgovich & Harris

DEZEMBRO – “The Microphones in 2020” – The Microphones (Disco do ano)

 

 

MENÇÕES HONROSAS ESPECIAIS:

 

“Rise/Black Is” – Sault,

“Shabrang” – Sevdaliza,

“Altid Sammen” – Efterklang,

“Have we Met” – Destroyer,

“Milkteeth” – Douglas Dare,

“The New Abnormal” – The Strokes,

“Lover’s Rock” – The Dears,

“Punisher” – Phoebe Bridgers

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *