Bill Evans – Wikipédia, a enciclopédia livreBill Evans

 

O genial pianista americano de New Jersey foi a porta que, para mim, se abriu primeiramente pro jazz, quando escutei pela primeira vez “You must believe in Spring”, o álbum póstumo desse gênio trágico, permanente usuário de heroína  e cocaína, que foi influenciado por Debussy, Ravel e até mesmo Chopin. Encantamento absoluto e minha primeira grande paixão jazzística. Como qualquer aficionado do jazz, tive várias paixões, mas a primeira nunca se esquece. Em 1958 Evans era o único músico branco no afamado sexteto de Miles Davis. Apesar da pouca duração (foram apenas oito meses) foi uma das colaborações mais frutíferas da história do jazz. A interpretação sóbria – mas impressionista – que o grande pianista que quase sempre trabalhou solo ou em trios nos deixou, até hoje é insuperável.

 

 

 

Disco inédito de John Coltrane será lançado 55 anos depois de ser gravado | Cultura | EL PAÍS BrasilJohn Coltrane

 

Outra de minhas maiores paixões jazzísticas, esse saxofonista americano é habitualmente considerado pela crítica especializada como o maior sax tenor do jazz e um dos mais importantes jazzistas e compositores deste gênero, de todos os tempos. Sua influência no mundo da música ultrapassa os limites do jazz, indo desde o rock até à música erudita.

Durante os anos em que atuou reformulou o jazz e influenciou gerações de outros músicos. Através de sua carreira, a música de Coltrane foi tomando progressivamente uma dimensão espiritual que iria consagrar para sempre seu legado musical. Lamentavelmente, assim como outros grandes jazzistas, Coltrane teve uma morte prematura – no caso dele, em decorrência de câncer do fígado -, embora tendo tido uma carreira prolífica.

 

 

 

 

Mark Murphy (singer) - WikipediaMark Murphy

 

Embora não seja somente um cantor que tenha gravado jazz, o também americano Mark Murphy é talvez meu cantor favorito nessa categoria. Versátil e prolífico, ele teve uma longa carreira e transitou por vários gêneros musicais. Um atrativo a mais para nós, brasileiros, é que ele foi amante da boa MPB, tendo gravado várias músicas nossas – e não apenas bossa nova, essa prima musical do jazz -, tendo inclusive chegado a gravar um álbum inteiro, “Night Mood”, apenas com músicas de Ivan Lins -, sempre imprimindo a cada interpretação sua uma improvisação vocal bastante inovadora.

 

 

 

 

Miles Davis - VAGALUMEMiles Davis

 

Impossível deixar de incluir esse genial trompetista e “band leader” americano que transitou e deixou marcas por quase todos os gêneros musicais e é considerado um dos mais influentes músicos do século XX. Miles Davis esteve na vanguarda de quase todos os desenvolvimentos do jazz desde a Segunda Guerra Mundial até à década de 1990, tendo participado de várias gravações do bebop e das primeiras gravações do cool jazz. Foi parte do desenvolvimento do jazz modal, e também do jazz fusion que se originou do trabalho dele com outros músicos no final da década de 1960 e no começo da década de 1970. Miles Davis é influência de 09 em 10 dos grandes músicos de jazz.

 

 

 

 

Clifford Brown - WikipediaClifford Brown

 

Esse fantástico trompetista americano foi outro que teve uma morte prematura, aos vinte e cinco anos num trágico acidente de carro. Isso não impediu que nos tenha deixado um legado excepcional , sobretudo como o membro do lendário grupo de jazz do baterista e percussionista, Max Roach, no qual também tocaram Sonny Rollins e George Coleman . Mesmo tendo tido uma carreira tão curta, isso não impediu que ele tenha sido incluído no Downbeat Hall of Fame – uma das bíblias do jazz – em 1972.

 

 

 

 

Chet Baker

 

Encerro a lista com outro músico de jazz com uma vida trágica – e bote trágica nisso – regada a drogas pesadas. Chet Baker é a nota e o chamado ao romântico incurável que existe em quase todos nós. Econômico nas notas  improvisava com sentimento. Saxofonista e cantor ocasional, com uma voz que influenciou dezenas de músicos da bossa nova, como João Gilberto e Carlinhos Lyra.  Outra paixão – essa mais tardia – que me levou a colecionar pilhas de trabalhos desse personagem musical fascinante.