No Caibalion*, entre as Sete Leis Herméticas temos a de Causa e Efeito:

“Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade, mas nenhum escapa à Lei”.

 

Nada acontece por acaso, pois não existe o acaso, já que acaso é simplesmente um termo dado a um fenômeno existente e do qual não conhecemos a origem, ou seja, não reconhecemos nele a Lei à qual se aplica.

Esse princípio é um dos mais polêmicos, pois também implica no fato de sermos responsáveis por todos os nossos atos. No entanto, esse princípio é aceito por todas as filosofias de pensamento, desde a antiguidade. Também é conhecido como karma.

Em Gênesis temos: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a Terra e submetei-a; dominai sobre os peixes do mar, as aves do céu e todos os animais que rastejam sobre a terra”.

Não vemos nessa citação bíblica que Deus tenha ordenado os homens a dominar outros homens.

Muito se ouve falar em justiça, na justiça dos homens e na justiça de Deus. Muitos clamam por justiça na Terra.

Lendo com atenção os textos acima e tudo o mais que a doutrina de Jesus nos ensina, penso que só há uma justiça: o retorno de nossa inserção, ou não, na Lei de Deus.

Há uma lei máxima que rege todo o Universo, que podemos traduzir na palavra “amor”. Essa Lei, que emana do Centro do Universo, cria e mantém tudo o que existe. Se nos mantemos dentro dessa Lei, tudo transcorre de maneira natural em nossas vidas. Crescemos pelo exercício do amor.

Quando inventamos de criar nossas próprias leis, temos que aguentar as consequências do que criamos que pode ser bom ou não.

Não podemos creditar nossas más escolhas a ninguém, somos os únicos responsáveis por nossas escolhas. Temos o Livre Arbítrio para isso.

Temos uma vida que se manifesta em contínuos corpos em diversos planos.

Tudo o que fazemos, agrega ao acervo de nossa alma, ou espírito.

Vida após vida, vamos vivendo segundo as Leis de Deus e criando nossas realidades que ora são tranquilas ora pesadas, dependendo do que fizemos antes.

Sempre que saímos da ordem universal acarretamos o que os orientais chamam de Karma negativo, que é a carga energética desarmônica que agregamos ao contrariar a Lei de Deus e que precisa ser purgada de nossa alma. Assim, não podemos creditar a outros as dificuldades que vivemos na atualidade.

As dificuldades para as quais não encontramos respostas nessa existência podem ser essa carga negativa contraída no passado que decidimos purgar por meio das provações. Sempre é bom lembrar que vivemos num planeta de padrão “Provas e Expiações”

 

Assim como escolhemos as experiências que necessitamos, precisamos respeitar as escolhas dos outros seres que caminham conosco no Universo. Se confortável ou desconfortável a experiência dos outros temos que aceitar a realidade e ajudá-los, caso nos peçam ajuda.

Sim, é necessário respeitar as decisões das outras pessoas de viverem dramas sofridos que elas mesmas escolheram para aprender algo de novo e assim crescerem como espíritos a caminho da luz.

Portanto não devemos acusar Deus nem ninguém pelas dificuldades que parte da humanidade enfrenta. A justiça divina está justamente em permitir que cada um se coloque no seu próprio caminho.

Há miséria de toda ordem, econômica, moral e política. Qual a nossa participação na miséria que vemos em nós e fora de nós?

Quando escolhemos nossos representantes no congresso ou nos cargos de comando, estamos dando a eles o poder de conduzir o destino de uma nação.

A quem damos esse poder? Conhecemos profundamente suas intenções?

Se a condução dos destinos de uma nação a levam ao caos econômico ou moral, somos corresponsáveis pela situação. Portanto o que quer que aconteça conosco ou com a sociedade da qual fazemos parte, somos sempre responsáveis pelos resultados.

Prestando atenção a essa Lei do Retorno deixaremos de responsabilizar os outros, cônjuges, patrões ou dirigentes das nações, pela situação que nós vivemos.

O Universo sempre nos dá uma nova oportunidade de repararmos nossos erros. Cabe a nós estarmos atentos ao que acontece e nos consultarmos internamente quando precisarmos tomar novas decisões.

Adilson Maestri

http://adilsonmaestri.blogspot.com.br

 

 

P.S.:  * Caibalion (Kybalion, palavra que pode ser traduzida como tradição ou preceito manifestado por um ente de cima) é um livro esotérico sobre os Princípios Herméticos, publicado em 1908.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *