Cama de Gato & Arthur Maia (In Memorian)

Cama de Gato é um grupo instrumental brasileiro do Rio de Janeiro, formado em 1982 e composto em sua primeira formação pelos músicos Paschoal Meirelles (bateria), Mauro Senise (flautas e saxofones), Rique Pantoja (piano), e Arthur Maia (baixo)

 

Resultado de imagem para cama de gato banda

 

Ao longo de sua história, já foi integrado (não necessariamente ao mesmo tempo) pelo cubano Romero Lubambo (violão), Mingo Araújo (percussão), André Neiva e Nilson da Matta ( contrabaixo) e Jota Moraes (piano).

Lançou seu primeiro álbum, Cama de Gato, em 1986, tendo obtido grande sucesso no mercado brasileiro e internacional, com expressiva vendagem no estilo música instrumental (75 mil cópias no seu lançamento).

O quinteto viajou pela Europa (França, Bélgica e Espanha), Estados Unidos e América Latina, com apresentações antológicas no Town Hall de Nova Iorque, no Free Jazz Festival do Rio de Janeiro e São Paulo (1994, 1996, 1997), no Festival de Jazz de Assunção – Paraguai (2006) e, em dezembro último no Festival de Jazz de Belém do Pará..

Resultado de imagem para cama de gato bandaNo início dos anos 90, o instrumental “Gonzagueando” foi escolhido para ser usado como cortina do programa de televisão argentino “Memoria”, dirigido pelo apresentador Samuel ‘Chiche’ Gelblung.

Após um intervalo de sete anos, o Cama de Gato voltou aos palcos com o show de relançamento do CD Água de Chuva (Perfil Musical, 2002), na casa de espetáculos Mistura Fina (Rio de Janeiro).

A atual estrutura da banda é um quinteto, formado por Paschoal Meirelles (bateria), Jota Moraes (piano), Mauro Senise (sopros), Mingo Araújo (percussão) e André Neiva (baixo).

O Cama de Gato representa o que de melhor e mais elitizado existe na Música Popular Brasileira atual e foi escolhido para iniciar a seção dedicada à MPB em memória do baixista Arthur Maia, falecido neste 15 de dezembro, de parada cardíaca, aos 56 anos em Niterói.

Reconhecido como um dos principais baixistas brasileiros, Maia acompanhou shows e gravações de grandes cantores como Caetano Veloso e Gilberto Gil. Maia iniciou carreira tocando bateria, mas migrou para o baixo elétrico assim que ganhou seu primeiro instrumento, aos 17 anos. A técnica, herdou do tio Luizão Maia, também baixista.

A partir da década de 1980, Arthur Maia ajudou a moldar o jazz brasileiro fundando o grupo Cama de Gato e integrando as bandas Black Rio e Egotrip.

Nos anos 1990, o baixista se aventurou pela carreira solo, lançando discos auto-intitulados em 1991 e 1996. Seu trabalho mais recente foi como produtor no próximo disco de Mart’nália, ainda por ser lançado, em janeiro de 2019, contendo canções de Vinícius de Moraes

 

Discografia

  1. Cama de Gato(1986)
  2. Guerra fria(1988)
  3. Sambaíba(1990)
  4. Dança da lua(1993)
  5. Amendoim torrado(1998) (indicação para o Prêmio Sharp)
  6. Água de Chuva(2002)

 

2 respostas
  1. Pascoal Meirelles
    Pascoal Meirelles says:

    Meu amado amigo Arthur Maia entrou no Grupo Cama de Gato em 1986,convidado por mim, para substituir a saída do Nilson Matta, primeiro baixista do grupo e autor do nome Cama de Gato.Permaneceu conosco até o ano de 1992, quando foi substituído pelo Alberto Continentino e logo a seguir pelo André Neiva que permanece desde então.Há muito tempo queremos reunir todos do Cama pois não existe ,para nós, ex integrante! O Rique Pantoja, por exemplo, sempre contribui com suas composições para nossos trabalhos apesar de não estar mais no Grupo. Com o Arthur também era assim.Tivemos a sorte das nossas agendas conciliarem e em abril de 2018 fizemos no Blue Note Rio o show Cama de Gato convida Arthur Maia.Lógico,foi incrível! dois baixistas em cena, André Neiva e o Arthur. Sentiremos saudades das brincadeiras, dos apelidos,da excelente musica, do virtuosismo dele e dele…

    Responder

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *