Cândido Portinari (1903 – 1962)

Resultado de imagem para candido portinariCândido Portinari nasceu em 30 de Dezembro de 1903 no interior do estado de S. Paulo. Viveu sua infância na pequena cidade de Brodowski e, aos 15 anos, saiu de sua terra natal para o Rio de Janeiro, com papel e cores em punho para a imensa aventura de pintar uma pátria. Sem curso primário completo e à custa de muita obstinação e talento, tornou-se um dos mais famosos pintores das Américas. Em mais de 5 mil obras, de pequenos desenhos a grandes murais, este pintor fixou para sempre a fisionomia da sua terra. Durante toda a sua vida, o pintor esteve às voltas com o contraponto entre o drama e a poesia, a fúria e a ternura, o trágico e o lírico.

 

 

Resultado de imagem para candido portinariSua trajetória reflete literalmente o conselho de Tolstoi: “Se queres ser Universal, começa por pintar a tua aldeia”. Quando fazia os estudos preparatórios para os monumentais painéis Guerra e Paz, Portinari foi proibido de pintar pelos médicos, que tentavam amenizar o processo de envenenamento pelas tintas; mas o pintos não recuou ao desafio e ao maior trabalho de toda a sua vida. Depois de longo e árduo trabalho, no início de 1956 os 2 portentosos painéis estavam prontos, constituindo um discurso visual uno em sua complexa complementaridade sobre os extremos da desgraça e da bem-aventurança, na trágica e divina comédia retratada por Portinari.

Resultado de imagem para candido portinariNas páginas da história da arte em que surgem incontáveis guerras datadas e localizadas, como as de Tróia e do Peloponeso, pintadas por Eufrônio, as Batalhas de San Romano e Anghiari, de Paolo Ucello e de Da Vinci, ou Guernica de Picasso, sobre a Guerra Civil Espanhola, todas são narradas por cenas que as identificam, localizam e datam. Com os recursos próprios ligados ao tempo da pintura, cada uma delas participando da variada gama de conceitos que vai do heroísmo à dor e ao desespero ou defendendo um solo, uma ideia ou uma causa que as particularizam.

A abordagem de Portinari é outra Não identifica guerra alguma, como se afirmasse que, em essência todas se equivalem no desencadeamento de horror e animalidade. Nenhuma arma identificável em Portinari; a cavalgada apocalíptica que corta a cena em todas as direções com seu cortejo de conquista, guerra, fome e morte, não traz as cores bíblicas do sangue e do fogo, nem o preto, o branco ou o amarelo. É o azul que domina. Uma ´trágica e dorida sinfonia em azul passando por toda a sua escala. Os tons escuros, soturnos, ricos em variadas e profundas nuanças violáceas, desenham as cenas sobre fundo de claros azuis de reflexos verdátreos, tendentes aos leves citrinos. Figuras em grupo compacto, genuflexo, braços levantados com as mãos espalmadas e rostos voltados para o céu, nesse cenário de morte, deixam transparecer uma aragem de força e vida, de condenação à própria existência da guerra.

Resultado de imagem para candido portinari guerra e pazNo painel Paz, tal como acontece com seu “pendant” são múltiplas as reminiscências de obras anteriores de Portinari, como também são vários os vestígios desses trabalhos em quadros posteriores do Mestre. O que significa dizer serem eles elos coerentes de uma imensa produção pictórica da mais alta representatividade do poder criador do século XX. O que emana desse painel nos enleva e encanta mais do que a ideia de paz e da paz, e é a própria paz que nos invade ao contemplá-lo. É a sensação de penetrarmos num universo de paz, comunhão fraterna no trabalho produtivo, num reino mágico de cores reluzentes, do som da ciranda de jovens num canto universal de fraternidade e confiança, ou da candura dos folguedos infantis. Com todos esses tons dourados, alegres, crepitantes de vida, o pintor parece dizer-nos: a Paz universal é possível. Dia virá em que a humanidade desfrutará da paz sem limites no espaço e no tempo.

(Extraído de trecho do artigo publicado no livro “Guerra e Paz – Portinari”, editado no ano do cinquentenário da instalação dos painéis na sede da ONU em NY)

Resultado de imagem para candido portinari guerra e pazO projeto ” Guerra e Paz” apresentando no Brasil, pela primeira vez a público, os 2 monumentais painéis de 14 x 10 metros, encomendados pelo Governo brasileiro ao genial pintor e presenteados à ONU – onde ficam permanentemente expostos no hall de entrada da Assembléia Geral – estarão em exposição até 21 de abril de 2012 no belíssimo complexo do Memorial da América Latina, na Barra Funda em São Paulo, partindo em seguida para uma itinerância nacional e internacional, que está sendo planejada, até seu retorno à ONU em 2013.

 

 

” Uma pintura que não fala ao coração não é arte, porque só ele a entende. Só o coração nos poderá tornar melhores e é essa a grande função da Arte. Não conheço nenhuma grande Arte que não esteja intimamente ligada ao Povo. As coisas comoventes ferem de morte o artista e sua única salvação é retransmitir a mensagem que recebe. Eu pergunto quais as coisas comoventes neste mundo de hoje? Não são por acaso as tragédias provocadas pelas guerras, a tragédias provocadas pelas injustiças, pela desigualdade e pela fome? Haverá na Natureza qualquer coisa que grite mais ao coração do que isso? ” (Trecho do discurso proferido por Portinari a intelectuais e artistas em Buenos Aires, 1947)

 

*** Cândido Portinari faleceu em 06 de fevereiro de 1962

 

Resultado de imagem para candido portinari guerra e paz

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] José Ferraz de Almeida Júnior, os irmãos Henrique e Rodolfo Bernardelli, Eliseu Visconti e Candido Portinari poderão ser vistos nesse percurso […]

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *