CIDADE DO VÍCIO (The Phenix City Story)

Não vai ser tão fácil, pois o filme é de 1955 e em P$B, mas quem puder não deixe de assistir ao filme “Cidade do Vício” (The Phenix City Story, no original americano) com o grande John McIntire arrebentando, como sempre. Faz parte da fenomenal série FILME NOIR, lançada pela Versátil Vídeo.

 

 

 

Gente, parece que o Brasil petista resolveu copiar integralmente o roteiro deste filme. É de arrepiar. Onde se prova mais uma vez que não existe nada de novo sob o Sol. Ou em outra perspectiva, pode-se dizer que o mal ataca sempre da mesma forma e visa sempre aos mesmos objetivos: só muda de disfarce para melhor poder ainda cooptar os desavisados. E quem se levanta para lutar contra ele é quase sempre um cavaleiro solitário movido pelo idealismo: um advogado indômito no filme e/ou um ex-capitão generoso na vida real.   A diferença – que nada tem de circunstancial é que na versão petista trata-se não mais de uma cidade, mas de um país inteiro e sua população.

A CIDADE DO VÍCIO (The Phenix City Story, 1955)No filme, cidadãos decentes, mas acovardados, liderados pelo tal jovem advogado idealista, travam uma guerra sangrenta, para expulsar a marginália do crime organizado que deu à cidade do Alabama o título de “cidade do Vício” e restaurar a ordem  no local. E mais não conto para não estragar a surpresa e as semelhanças do filme com a realidade.

A produção do filme foi tão rápida que alguns dos criminosos retratados ainda estavam à espera de julgamento enquanto aconteciam as filmagens.

O filme é baseado numa reportagem baseada em fatos verídicos que ganhou o prêmio Pullitzer e é um dos filmes preferidos de Martin Scorsese, pois foi inovador em seu uso extremo de violência gráfica.

Impressionante! Não vi o Mecanismo, mas acredito que este filme é ainda mais fiel ao que viria a acontecer meio século depois num certo país dos trópicos. Até que estamos evoluindo: as coisas por aqui só costumam repetir-se cem anos depois…

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *