INTENSAMENTE (Poesia de Paulo Monteiro)

INTENSAMENTE

 

 

 

Se acaso a paixão atracar como nau

A atracar-te a jusante

Levar-te de roldão

Não ices amarras

Não subas à mezena

Não te escondas no porão

 

Se perpassar como a brisa do campo

A inebriar-te docemente

Toldar-te a razão

Não vistas casacos

Não puxes do lenço

Não finjas constipação

 

Se irromper avassalante em turbilhões

A redemoinhar-te aos pés

Até levantar-te do chão

Não feches janelas

Não te ampares nas vigas

Não lutes em vão

 

Se por fim adejar como uma ave

A seduzir-te com o canto

Escravizar-te o coração

Não uses gaiolas

Não te armes de estilingues

Não cerceies a emoção

 

Vai e entrega-te

Sem hesitações

Sem disfarces

Sem covardias

Sem restrições

 

A dar sem nada ocultar

A exigir sem nada pedir

A ser sem nada ter

A fluir sem reprimir

 

Pois a vida é só paixão

É o momento eterno que se esvai

Tão de repente…tão de repente…

Que quase ninguém a sente

 

 

P.S. : Esta poesia ganhou o Primeiro lugar no 37° Concurso Literário da Uniso (Sorocaba) em 2018

2 respostas
  1. Mayara Diefenbach
    Mayara Diefenbach says:

    Me deixei levar por palavras
    Sem nem consultar o coração
    Foi tão fácil escutar a canção
    Do Paulo cheia de razão.
    Linda poesia, fiquei esperando o final e, encantada fui arrebatada.

    Responder

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *