Mario Biondi em Curitiba

Show do “crooner” italiano trazido pelo Projeto “Italia na Copa”

 

Assistir  ao  vivo  a  um  “show”  do  fantástico  “crooner”  italiano Mario Biondi,  como  convidado  do  Cônsul  da  Itália  no  Amazonas, Dr. Arnaldo Russo, e na companhia  do Ministro  Conselheiro da Embaixada Italiana  no  Brasil, Sr.  Filippo de La Rosa, e do Secretário da Embaixada  da Itália  no  Brasil, Sr. Alberto La Bella,  pareceria à primeira  vista  mais  um delírio  utópico  de  um entusiasmado   fã   desse  siciliano  transbordante de   “swing” e de musicalidade, que  transpôs  os  limites  de   sua  língua  natal  para  firmar  em definitivo  seu  nome  na  elite do  “show  business”  internacional.

No entanto,  foi  exatamente  isso  que  ocorreu  na  fria  e úmida   noite  curitibana  de  sábado  passado, quando  da  primeira  apresentação  de  Mario  Biondi  em  solo  brasileiro; como  o  ruidoso  “carro-chefe”  das  muitas  excelências  italianas nas artes,  a  Embaixada  Italiana  trouxe,  entre  várias outras atrações,  o   “ crooner”   de  Soul-Jazz  para  03  apresentações  incluídas  no  Projeto  Itália   na  Copa  –  as  outras 02  apresentações  ocorrerão  ainda este  mês  no  Rio  de  Janeiro  e  em  Brasília  –   uma iniciativa  que  nasceu  com  o intuito  de  aproximar ainda mais  a  Itália  do  Brasil,  aproveitando-se   da  proximidade   desse  grande  evento  de  confraternização  mundial,  em  que  o  Brasil,  como país hospedeiro,    estará  sob  a  mira  de   todo  o  planeta.  Centrado   em  seu  último  trabalho  e  secundado   por sua   banda  de   virtuoses  de  apoio,   The High Five Quintet,  atualmente com   oito  integrantes,  Mario  Biondi  trouxe   ao  tradicional  palco   do  Teatro  Guaíra  na  capital  paranaense  uma  apresentação  centrada  em  seu  último  disco,  adequadamente  chamado  “Sun”, no  qual  predominam   faixas  suingadas   como  “Shine On”  e “Lowdown” ,    a   baladas  de  muito  “soul”,  como  “Something  that  was  beautiful”   de  Burt  Bacharach  e  “I can’t  read  your  mind”,  de  sua  autoria,  onde   ele  mostra  porque  é  considerado  um  dos   herdeiros  da melhor  tradição  dos  grandes  nomes  do  gênero,  como  Isaac  Hayes,  Ray  Charles   ( com  quem Mario  iniciou  a  carreira,  como  cantor  de  apoio )  e,  sobretudo,  do  inesquecível  Barry  White.

 

 

Encerrou  sua apresentação  de  90  minutos,  com  uma  reedição  de  “My Girl” ( famosa  na  interpretação  dos  The Temptations)  e   com  a  sua  já  icônica  versão  para  “Close  to  you”, também  de  Bacharach,  para   levantar  o  público  curitibano,   sabidamente  comedido  para  os  padrões   brasileiros,  com  a   esfuziante  “ This  is  what  you  are”,  seu   primeiro  grande  sucesso  do   disco  “Handful  of  soul”   e   esquentar  de   vez   a  fria   noite  outonal.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *