Museu Nacional D´Art de Catalunya – Em Barcelona

 

 

O Museu Nacional D´Art de Catalunya (assim mesmo, em catalão, como eles preferem) também conhecido pela sua sigla MNAC, está situado no Palácio Nacional, em Barcelona e sua  majestosa silhueta neobarroca pode ser contemplada nas encostas do Parque de Montjüic. Foi construído para a Exposição Internacional de 1929, restaurado em 2005, e abriga uma significativa mostra da arte catalã, desde o início da Idade Média até ao início do século XX.

O belíssimo acesso, partindo da monumental Plaça D´Espanya, requer ao turista um pouco mais desavisado a disposição para uma prazerosa caminhada que inclui a imensa escadaria lateral – suavizada por algumas escadas rolantes – que ladeiam as cascatas de águas e as fontes luminosas que tornam o passeio extremamente compensador e agradável.

O Museu abriga a melhor coleção de pintura mural românica do mundo. Retirada de esquecidas igrejas no nordeste da Catalunha, a coleção consiste de 21 afrescos, pinturas na madeira e os frontais de altares que adornavam velhas basílicas da região. O interior de várias dessas igrejas foi recriado – fragmentados em alguns casos, mas completos e com as cores em outros – e expostos como eles eram originalmente “in situ”.

Dispostos em várias salas na Seção dos Românicos, que ocupa toda a ala esquerda do Térreo, sobressaem-se uma fabulosa imagem do Cristo em Majestade, feita por volta de 1123, no qual se vê o Cristo entronado sobre um arco íris, com o mundo a seus pés e rodeado pelos Quatro Evangelistas, retirado do oratório da Església de Sant Climent de Taüll no nordeste da Catalunha e o afresco que reproduz uma imagem da Virgem Maria e do Cristo Menino, retirado da Església de Santa Maria de Taüll, nas proximidades da outra igreja.

A ala direita, também no térreo, abriga a Seção Gótica e Medieval, na qual podem ser admiradas pinturas do período gótico da Catalunha e também de outras regiões da Espanha e do Meditarrâneo. São destaques as salas reservadas às pinturas de Martorell e de Jaume Huguet na Seção de Renascimento e Barroco, as pinturas provenientes do assim chamado Legado Cambó (da coleção de Francesco Cambó 1876-1947) contendo pinturas feitas entre o século 14 e o século 19, e, finalmente, a Seção dedicada à coleção Thyssen-Bornemisza de Madrid com pinturas de Fra Angelico (1395-1455), dos renascentistas venezianos, Tintoretto (1519-1594), Veronese (1528-1588),Ticiano (1490-1557) e Canaletto (1697-1768) e até do espetacular pintor flamengo, Peter Paul Rubens (1577-1640) e o “grand finale”, com alguns quadros de Francisco de Goya (1746-1828).

Passando pelo grande hall central, que é usado muitas vezes para concertos de Música Clássica, sobe-se ao Piso Superior, dedicado à Arte Moderna, não exclusivamente catalã, que está dividido em Seções dedicadas ao Modernismo, ao Novecentismo e Arte y Guerra Civil.

Entre os destaques, podem ser admirados ali quadros de Salvador Dali, Juan Gris, Antoni Gaudì, Josep Maria Jujol e os retratos feitos por Marià Fortuny. Há também vários quadros, mobílias e decoração dos artistas Modernistas, Ramon Casas e Santiago Rusinõl, assim como do lendário artista catalã Antoni Tàpies.

Para os aficionados, o Museu Nacional D´Art de Catalunya reserva uma riquíssima seção de Numismática e a Biblioteca.

Finalmente, você poderá fazer uma merecida pausa para relax no charmoso restaurante do museu com ótima vista para a Plaça D´Espanya.

0 respostas

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *