Nunca emiti parecer sobre o que realmente penso a respeito do “affair” Queiroz. Creio ser chegado o momento de fazê-lo.

Posso ganhar inimigos por dizer tudo o que penso, mas não estou nem aí, pois atingi uma idade em que isso é absolutamente irrelevante para mim. Minha única preocupação maior é com a minha consciência. Nessa busca de integridade e coerência com a minha consciência, a opinião de alguns – muito poucos – é válida, como parâmetro. No mais, escuto todos, mas, a não ser que distinga algo de racional e válido nos argumentos dessa outra maioria, honestamente a opinião desses demais pouco pesa em meu julgamento pessoal. E não poderia ser diferente. Se de fato tivesse que escutar todos e levar a opinião de todos em consideração, daria motivo para instalar o CAOS absoluto em meus julgamentos e na Paz interior que tanto busco.

Digo isso para fazer a seguinte afirmação. Se de fato for comprovado que existe alguma participação do filho do Presidente nessa questão do Queiroz, como julgo que é bastante possível que ocorra, penso que o Brasil e QUALQUER brasileiro que abandonar nesta hora o Presidente MERECE sem a menor compaixão o futuro sombrio que nos aguarda, sem a menor sombra de dúvida.  E digo MAIS: não descarto que possa haver algum tipo de envolvimento da figura pessoal do Presidente. Veja bem: não estou em momento algum afirmando que exista, mas, NÃO DESCARTO.  Não tenho ninguém na conta de sobre-humano.

E isso não significa ser defensor de político algum, como muitos gostam tanto de enfatizar. Significa apenas ter uma pequena noção da essência de todos os seres humanos. Sem hipocrisias, demagogias ou sem autopromoção gratuita. E significa, sobretudo, ter alguma coerência e força de caráter, para de um momento para o outro querer ignorar e fraquejar perante as ciladas e as “armações”  que todos estão “carecas ” de saber que os trevosos irão plantar a cada segundo de nossa existência no caminho do Presidente que elegemos. Pois, hoje todos sabem que eles são muito mais bem preparados para a guerra. E isso fica mais uma vez comprovado. E essa, não duvide, é uma das piores dessas ciladas.

Afinal, as “rachadinhas” eram prática inteiramente comum na sistemática antiga. Poucos ou até nenhum político escapava dessa forma de proceder. Se assim não procedessem, não sobreviveriam um mês sequer na Política. Isso não é justificativa. É apenas a realidade que vivemos. Mas, querer equiparar algo assim, para começo de conversa, com os atos de quem saqueou a Nação a céu aberto, entre outros crimes talvez até maiores, só pode caber na cabeça de alguém desmiolado.

O Governo brasileiro e as instituições nacionais SEMPRE funcionaram na base de falcatruas, esquemas e corrupção. O que pode diferenciar tudo nesse quesito é a questão da proporção. Pensar diferente é pura DEMAGOGIA, hipocrisia e utopia. Qualquer funcionário público, com alguma graduação e informação, sabe perfeitamente disso.

Agora, ignorar cegamente o ABSURDO senso de proporções e as circunstâncias dos fatos em si, é imperdoável. Ignorar todo o quadro tenebroso que nos ameaça e ignorar todas as sujeiras perpetradas pelos inimigos do Brasil, para conseguir exatamente esse resultado, sabendo MUITO BEM essas pessoas que neste momento estão afirmando que abandonarão o apoio ao Presidente, se for comprovada alguma irregularidade, quais são esses perigos que nos ameaçam a todos, é absolutamente indesculpável num momento grave e numa circunstância delicada como a que atravessamos. É de uma HIPOCRISIA e uma egolatria total e absoluta. Quem essas pessoas se julgam e qual o modelo de santidade que tomam para si e para qualquer outro ser humano – falho e pecador como qualquer um de nós, mas cadê as proporções, em primeiro lugar – para imaginar que o ser humano (qualquer ser humano) possa ser infalível, imaculado e um santo de honestidade e probidade?

Veja bem, não estou em momento algum afirmando que irão encontrar algum tipo de improbidade na conduta de algum elemento da família Bolsonaro. Mas, e se encontrarem? Não se trata de defender o incorreto, mesmo numa situação dessas. Se houve de fato algo incorreto que pague quem errou. Mas, que paguem IGUALMENTE todos os demais. Não se trata de defender o incorreto, portanto. Mas, trata-se – isso sim é o que DE FATO importa – de permanecer INCONDICIONALMENTE apoiando o Presidente. Cada vez mais e agora mais do que nunca. Trata-se disso. De permanecer forte e firme ao lado dele.

Um eventual escorregão numa circunstância totalmente diferente justifica que fechemos os olhos para o futuro do país? Justifica que deixemos os criminosos fazerem valer mais uma vez seus procedimentos trevosos? Justifica que passemos imediatamente a ignorar que o preço dessa atitude tola seja a submissão de nossa Pátria a interesses inimigos? Justifica que passemos mais uma vez atestado de otários, indisciplinados e anárquicos, num momento terrível em que precisaríamos estar todos UNIDOS  e coesos apoiando e sendo solidários e em oração junto com o Presidente, para que ele continue sendo a única chance que temos de nos livrar do abismo, só por que alguns querem tirar uma de que são os “íntegros”, os “honestinhos” e os “justos”?

Sim, me perdoem o desabafo, mas essa é a minha opinião e este é o meu espaço: respeitem! Se isso de fato acontecer, o Brasil, e esses brasileiros NÃO MERECEM o Presidente que têm, nem a chance que lhes está sendo dada REPETIDAMENTE pela Providência Divina (e hoje isso fica cada vez mais claro para quem enxerga: apenas a Providência Divina e sua Vontade Soberana nos têm preservado, por que, se dependêssemos do tirocínio de muitos brasileiros estaríamos nos caminho irrecuperável de uma Venezuela e de uma Argentina, só para ficar em exemplos mais atuais) para que saiamos da trilha das Trevas.

Já não basta termos uma situação tão grave e uma atuação tão pusilânime – para não dizer conivente e francamente omissa – de quem deveria nos defender? Sejam quais forem os argumentos que esses que deveriam nos defender possam ter para justificar tanta pusilanimidade, isso não justifica. E, para completar, ainda temos uma nação quase inteiramente “emburrecida”?

Uma pena para os demais que permanecem firmes apoiando o Presidente. Pagarão pela cegueira de alguns, para nem falar também na insanidade dos que já são suficientemente identificados como inimigos. Mas, desses nada se espera mesmo.

Por que o Presidente e sua família têm feito por merecer nosso apoio incondicional – todos sabem disso, mas preferem esquecer na primeira oportunidade – e não será por um pequeno arranhão que possa ter existido durante a vigência da sistemática antiga (que é disso que se trata, se for verdadeiro tal arranhão, em minha opinião) e que é perfeitamente inteligível para quem tem um mínimo de autocrítica e de conhecimento da essência do ser humano – que é Sombra e Luz – que os verdadeiros patriotas, aqueles com um mínimo de visão, cônscios do momento que vivemos, das táticas dos trevosos e de tudo o que está em jogo, deixarão de continuar prestando inteiro apoio ao nosso Presidente.

Isso vale para os eventuais escorregões que possam ter existido no passado recente da família do Presidente, quando ainda estávamos sob as regras sujas do sistema antigo. Não valerá para o que vier a se passar a partir do momento em que Jair Bolsonaro assumiu a Presidência. Que isso fique claro.

Essa é a minha opinião.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *