Por Valéria Peixoto de Alencar: A ARTE AFRICANA E O CUBISMO

 

 

 

O Cubismo foi um dos principais, se não um dos mais comentados, estilos do Modernismo, das chamadas Vanguardas. Mas o que a “Arte Africana” tem a ver com isso?

Pablo Picasso (1881-1973), um dos precursores do Cubismo começou a desenvolver o estilo a partir de visitas a uma exposição de Arte Africana, no Museu do Homem de Paris, em 1905

 

Resultado de imagem para valéria peixoto de alencarO trabalho exposto causou uma forte impressão no artista, especialmente as máscaras, o que fez com que ele procurasse retratá-las em suas pinturas. As máscaras, carregadas de significados sagrados, mas também pela simplificação das formas, tornaram-se referência para alguns artistas do Modernismo, em especial para Picasso, que, influenciado por elas, inaugurou uma nova fase da sua obra, o que alguns estudiosos denominam como protocubismo, um antecedente do cubismo, como podemos perceber nas imagens deste artigo.

 

 

Abaixo, uma máscara da cultura Fang, observamos a ideia de simplificação das formas, ou seja, quais elementos são necessários para a confecção de um rosto. Essa idéia foi muito importante no cubismo. Acima, na tela “Les Demoiselles d Avignon”, de Picasso, percebemos, nas duas figuras da direita a semelhança com as máscaras. Também, é possível notar que nas cores do quadro há a predominância de tons terrosos, outra forte referência às cores das máscaras africanas.

 

Resultado de imagem para máscara fang

 

 

 

 

*** Valéria Peixoto de Alencar é Historiadora formada pela USP e Mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp. Uma das autoras do livro Arte-educação: experiências, questões e possibilidades. (Editora Expressão e Arte)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *