Retalhos a Granel de Paulo Monteiro, Parte 15: “A Resistência ao Pacote Anticrime de Sergio Moro”

“Não bastasse a resistência de Rodrigo Maia em dar andamento ao pacote anticrime, entidades que propagam defender “os direitos humanos” farão um ato na semana que vem na Câmara para tentar enterrar a proposta.

Será lançada na quarta (27/03) uma campanha para desmoralizar o projeto, propondo tudo o que a esquerda defende na segurança e que vai na contramão do que prega o governo: soltar mais presos, desarmar a população e endurecer punição sobre policiais.”

O Antagonista (Leia a íntegra desse artigo no blog do Antagonista)

 

Resultado de imagem para pacote anticrime de moro

 

Com a revelação de que o ex-presidente Michel Temer tinha propinas de 65 milhões acertadas com construtoras, podemos concluir sem qualquer margem de erro que fomos governados por longos 30 anos  – ou mais – pela alternância no poder entre quadrilhas unidas no mesmo objetivo: saquear o bem público.

Uma alternância inspirada nas centrais ideológicas marxistas (na fonte original, eles eram conhecidos como bolcheviques e mencheviques, respectivamente os radicais e os moderados), sacramentada por FHC (um marxista “moderado” formado na mesma escola), como jogo de cena para criar a ilusão de que éramos governados democraticamente por facções de inclinações diferentes (direita e esquerda), quando na verdade a inclinação sempre foi a mesma, esquerdista – ou de oportunistas e aliados, alinhados com os mesmos objetivos -, com personagens diferentes.

Entretanto, a questão ideológica, em sua essência, foi jogada como isca para dividir e brinquedinho para desviar as atenções, INTOXICANDO inteiramente as massas (nós) para que eles, os privilegiados, eles os “espertos” que governam (o Estado) pudessem se locupletar à tripa forra, enquanto as “crianças” (nós) se divertem digladiando com ideias. Que, na verdade, em sua essência teórica, pouco têm a ver com o que de fato importa.

Precisam criar a ilusão de que a questão é ideológica, enquanto eles se ocupam do essencial: o Poder e a Grana, sufocando qualquer oposição e resistência.

Eis por que precisam de uma população desarmada. Para que não haja resistência. Eis por que o Estado precisa deter todo o Poder. Ele necessita ser fascista e totalitário para sobreviver, se perpetuar e levar a cabo seus planos ditatoriais.

Eis por que alimentaram alguns setores vitais à realização de seus planos, (Sindicatos, ONG’s de Direitos Humanos, Mídia, Classe Artística), corromperam ou aparelharam outros (Universidades, Entidades de classe tipo OAB, postos chaves no Judiciário e no Legislativo, Partidos Políticos, Políticos corrompíveis, etc…). Por que, quando necessário, tais setores serão seus aliados na hora em que houver algum tipo de oposição ou confronto. Apenas por isso.

 

 

Eis por que eles são capazes de tudo para destruir e inviabilizar quem queira se lhes opor: de literalmente qualquer deturpação, mentira, artifício, inversão, manipulação, crime se necessário e da aliança com qualquer tipo de organização criminosa ou fora-da-lei (narcotraficantes, crime organizado, estados párias, organizações e instituições capitalizadas com interesses escusos, etc…) para atingir seus objetivos.

E serão capazes de qualquer absurdo – como é exatamente o caso da notícia emitida pelo blog do Antagonista que encima este artigo – para instaurar o Caos e barrar quem se proponha a restabelecer a Ordem. 

Não se trata de divergência de opiniões. Afinal, nenhuma mente no domínio de sua sanidade e de algum senso seria contra medidas que tentam dar fim às tenebrosas estatísticas de crimes que há longos anos vêm assolando o país, exatamente por impor essa diretriz perversa de apoiar o Crime e o Caos. Trata-se de se utilizar de tal Ideologia para atingir esses objetivos.

Essas são em resumo as forças que irão se levantar a quem quer que tente opor-se a seus planos – como é o caso da aliança entre o Presidente Bolsonaro e as forças da Lava Jato – e que só serão derrotadas se tivermos a disciplina e a união minimamente inteligente necessária para dar suporte incondicional a quem tenta quebrar esse ciclo maligno. Pelo menos, enquanto percebermos nessas forças opositoras que tentam restaurar a Ordem a intenção expressa e visível de assim proceder.

Eis por que Nazismo, Marxismo e Fascismo são faces diferentes da mesmíssima moeda: o totalitarismo estatal. A cartilha, o “modus operandi” e os objetivos perversos são sempre os mesmos. E apenas eles se utilizam de tais táticas.

Eis por que eles têm sintonia e o apoio de forças invisíveis similares.

Eis por que a Democracia e o Liberalismo, mesmo com suas imperfeições, são as alternativas existentes e o único antídoto para escapar ao horror do totalitarismo.

 

Resultado de imagem para pacote anticrime de moro

1 responder

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *