“Sir” GEORGE MARTIN (1926 – 2016)

George Henry Martin  foi um produtor musical, arranjador, compositor, engenheiro sonoro, músico e maestro britânico. Devido a sua importância em relação à produção musical dos discos da banda britânica, The Beatles, ele foi chamado de “o quinto Beatle”.

Nascido no dia 3 de janeiro em Holloway, distrito de Londres, na Inglaterra, George Martin dedicou sua vida à música. Autodidata, aprendeu a tocar piano sem ajuda de ninguém, ainda com dezesseis anos de idade. Ele produziu mais de 700 álbuns ao longo de sua carreira de cinco décadas. Seu conhecimento técnico e gosto pela experimentação permitiram que produzisse sons inovadores com equipamentos que músicos modernos considerariam primitivos.

Filho de um carpinteiro do norte de Londres, George ajudou os Beatles a alcançar sucesso mundial como diretor da gravadora Parlophone após ouvir uma fita deles, em 1962. Ele os conduziu dos discos iniciais da carreira no início dos anos 1960 à psicodelia de “Sargent Peppers”. Produtor, arranjador, compositor, engenheiro sonoro, músico e maestro, George Martin era considerado “o quinto Beatle”. Ele ajudou Ringo, Paul McCartney, John Lennon e George Harrison a alcançar o estrelato, com cerca de trinta canções chegando ao primeiro lugar das paradas no Reino Unido. George é considerado o produtor que deu alma às composições dos Beatles. Foi responsável por produzir obras seminais como “Please Please Me” (1963), “Help!” e “Rubber Soul” (1965), “Revolver” (1966), “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band” e “Magical Mystery Tour” (1967), “The Beatles” (1968) e “Abbey Road” (1969). Da discografia da banda, apenas “Let It Be” (1970), que pôs um ponto final na trajetória dos Beatles, foi o único a não ser produzido por George Martin, certamente não por acaso, já que este é considerado um dos discos mais dispensáveis da carreira dos Fab Four.

Além dos Beatles, George trabalhou com artistas como Shirley Bassey,Earth, Wind and Fire, Linkin Park, Kenny Rogers, Elton John, Celine Dion e o tenor José Carreras. Em 1997, ele produziu nova versão de Elton John de “Candle In The Wind” para homenagear a falecida princesa Diana. A produção tornou-se um dos singles mais vendidos de todos os tempos. Em uma carreira de seis décadas, Martin trabalhou em cinema, televisão e espetáculos ao vivo. Ele também já teve vários cargos executivos em companhias midiáticas e contribuiu para várias de causas beneficentes, incluindo seu trabalho para o The Prince’s Trust da ilha de Montserrat. Em reconhecimento por suas contribuições para a música e cultura popular, ele recebeu um Knight Bachelor em 1996. Em sua carreira, Martin ganhou diversos prêmios Grammy. Em 1999, ele entrou no Hall of Fame do rock. Faleceu no dia 8 de março de 2016.

FONTE: George Martin

0 respostas

Deixe uma resposta

-
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *